terça-feira, 30 de junho de 2009

Teu Riso


Não me tires a rosa, a lança que desfolhas,
a água que de súbito brota da tua alegria,
a repentina onda de prata que em ti nasce.

A minha luta é dura e regresso com os olhos
cansados às vezes por ver que a terra não muda,
mas ao entrar teu riso sobe ao céu a procurar-me
e abre-me todas as portas da vida.

Meu amor, nos momentos mais escuros solta o teu
riso e se de súbito vires que o meu sangue mancha
as pedras da rua, ri, porque o teu risos erá para as
minhas mãos como uma espada fresca.

À beira do mar, no outono, teu riso deve erguer sua
cascata de espuma, e na primavera, amor, quero teu
riso como a flor que esperava, a flor azul, a rosada
minha pátria sonora.

Ri-te da noite, do dia, da lua, ri-te das ruas tortas da ilha,
ri-te deste grosseiro rapaz que te ama, mas quando abro
os olhos e os fecho, quando meus passos vão, quando
voltam meus passos, nega-me o pão, o ar, a luz,
a primavera, mas nunca o teu riso, porque então morreria.
(Pablo Neruda)

4 comentários:

Anjo vermelho disse...

É nunca pensei que o riso pudesse dar tanta inspiração para alguem!!
mais vc tem talento escreve muitissimo bem!!

estes versos estão lindos!!
boua semana!! beijos de Anjo!

Uma aprendiz disse...

Eu morreria também se soubesse que quem eu amo não sorri mais.
Mesmo que seja para outra pessoa.


beijos

Pedro Antônio disse...

Ricardão!

Você é muito gentil!

E Pablo Neruda foi uma ótima escolha! Demais! Parabéns!

Um abração.

Volte mais vezes.

Pedro Antônio

♥Тїѕѕїмa♥™ disse...

Ahhh que saudades de vc me visitando! hauhauhauauha
E esse computador ta de rosca ainda?!?!?!rs
Amooooooooooo seus post, isso vc está cansado de saber, sou fã e pronto!!!

"A alegria é talvez a única dádiva , que você é capaz de ofertar sem possuir."
E a forma que temos para demonstrar a alegria é o sorriso!!!

Beijinhos